ENTRAR            

 


 

PARANINFO DIGITAL 2015;22:449

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar este texto

Ir a Sumario

Documento anterior

Documento siguiente

Enviar correo al autor

Sin Ttulo


Modalidad de presentación:
comunicación digital

 

REF.: 449d

Perspectiva de las matronas sobre educación para la salud
Maria de Fátima da Silva Vieira Martins
Escola Superior de Enfermagem. Universidad do Minho, Portugal

Rev Paraninfo digital, 2015: 22

Cómo citar este documento
Martins, Maria de Fátima da Silva Vieira. Perspectiva de las matronas sobre educación para la salud. Rev Paraninfo Digital, 2015; 22. Disponible en: <https://www.index-f.com/para/n22/449.php> Consultado el

RESUMO

Actualmente, a educação para a saúde constitui a essência da enfermagem, na medida que a sua prática assenta na construção de uma interacção que contribui para o bem-estar da pessoa. Este estudo de natureza qualitativa teve como principal objetivo analisar a perspectiva da parteira sobre as práticas educativas realizadas no âmbito dos Cuidados de Saúde Primários, durante consulta de vigilância pré-natal. Realizamos uma entrevista semiestruturada a oito parteiras com recurso à da análise de conteúdo. Verificamos que as parteiras valorizaram a educação para a saúde. A concepção de educação para a saúde revelada refere-se essencialmente à prevenção de doenças e de complicações. A relação terapêutica com a grávida é a pedra angular da profissão de enfermagem na vigilância pré-natal.
Palavras chave: Educação saúde/ Parteira/ Vigilância pré-natal/ Interacção.
 

Bibliografía

Antunes MC (2008). Educação, Saúde e Desenvolvimento. Coimbra: Almedina.
Balsa C (2006).Confiança e Laço Social. Lisboa: Edições Colibri.
Bardin L (2009). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.
Couto, G (2006). «Conceitualização pelas enfermeiras de preparação para o parto». Revista Latino-am Enfermagem, 14(2), pp. 190-198.
Côto R; Leite L (2007). «Perfil de competências do EESMO. O percurso realizado». Revista Ordem dos Enfermeiros. 26: 40-44.
Habermas J (1987). Teoría de la acción comunicativa. Madrid: Taurus.
Freire P (2007). Pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Editora Paz e Terra.
Kérouac S et al. (1994). La pensée infirmière, conceptions et stratégies, Québec: Editions Études Vivantes.
Minayo MC (2007). O desafio do conhecimento, Pesquisa Qualitativa em Saúde. São Paulo: Editora Hucitec.
Munoz MJ (2008). «Cuerpos gestantes y orden social: Discursos y prácticas en el embarazo», Index Enfermería. 1(17), texto accedido a 17/12/2009, in https://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S113212962008000100006&lng=en&nrm=iso.

Principio de p�gina
error on connection