ENTRAR            

 


 

PARANINFO DIGITAL 2015;22:395

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar este texto

Ir a Sumario

Documento anterior

Documento siguiente

Enviar correo al autor

Sin Ttulo


Modalidad de presentación:
comunicación digital

 

REF.: 395d

Mortalidade materna no Rio Grande do Norte - uma análise da sua evolução no período de 2009 a 2013
Eliabe Rodrigues de Medeiros, Cristiane da Câmara Marques, Kadyjina Daiane Batista Lúcio, Iasmim Caroline Gomes Silva, Maria Mônica Feitosa, Paula Fernanda Brandão Batista dos Santos
Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal (Rio Grande do Norte), Brasil

Rev Paraninfo digital, 2015: 22

Cómo citar este documento
De Medeiros, Eliabe Rodrigues; Marques, Cristiane da Câmara; Lúcio, Kadyjina Daiane Batista; Silva, Iasmim Caroline Gomes; Feitosa, Maria Mônica; dos Santos, Paula Fernanda Brandão Batista. Mortalidade materna no Rio Grande do Norte - uma análise da sua evolução no período de 2009 a 2013. Rev Paraninfo Digital, 2015; 22. Disponible en: <https://www.index-f.com/para/n22/395.php> Consultado el

RESUMO

Estudo descritivo que buscou traçar uma série histórica e refletir sobre o contexto do óbito materno no período de 2009 a 2013 no estado do Rio Grande do Norte, Brasil, dos casos notificados de mortalidade materna de acordo com os dados disponíveis no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) do Banco de Dados do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Os dados foram apresentados em gráficos e porcentagens e somaram 127 óbitos no período estudado. A maior parte das mortes maternas ocorreram em mulheres jovens, solteiras e pardas, por causas obstétricas diretas e durante o período de puerpério. A quantidade de óbitos nessas mulheres ainda é frequente no estado, onde percebe-se a necessidade do desenvolvimento de políticas de saúde e expansão da atenção básica, de forma a garantir uma boa consulta de pré-natal e diminuição dessas mortes.
Palabras-chave: Mortalidade Materna/ Saúde Pública/ Notificação.


Bibliografía

1. Der, EMC; Moyer, C; Gyasi, RK; Akosa, AB et al. Pregnancy related causes of deaths in Ghana: a 5-year retrospective study. Ghana Medical Journal 2013; 47 (4): 158-163.
2. Chaves Netto, Hermógenes; Moreira de Sá, Renato Augusto. Obstetrícia Básica. São Paulo: Atheneu, 2008 (2nd ed.).
3. Yang, Shaoping; Zhang, Bin; Zhao, Jinzhu; Wang, Jing, et al. Progress on the maternal mortality ratio reduction in Wuhan, China in 2001�2012. Plos One 2014; 9(2): 1-8.
4. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação em Saúde. Guia de vigilância epidemiológica do óbito materno. Brasília, 2009.
5. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Manual dos Comitês de Mortalidade Materna. Brasília, 2007. (3nd ed.).
6. Lassi, Zohra S; Salam, Rehana A; Das, Jai K; Bhutta, Zulfiqar A. Essential interventions for maternal, newborn and child health: background and methodology. Reprod Health 2014; 11(S1): 1-7.
7. Gomes Pereira, Maurício. Epidemiologia: teoria e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.
8. Rodrigues Alves, Mercia Maria; Valongueiro Alves, Sandra; Cerqueira Antunes, Maria Bernadete de; Pereira dos Santos, Dirce Luiza. Causas externas e mortalidade materna: proposta de classificação. Rev Saude Publica 2013; 47(2): 283-291.
9. Portal ODM. Avaliação dos objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Disponível em <
https://www.objetivosdomilenio.org.br/objetivos/>. [acesso: 2015/07/13].
10. Carneiro JD. Mortalidade materna cai no Brasil, mas não atingirá meta da ONU. BBC do Brasil. Rio de Janeiro, 8 mar. 2015. Disponível em <
https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/03/150306_mortalidade_materna_jc_ru>. [acesso: 2015/07/13].
11. Saleem, Sarah; McClure, Elizabeth M; Goudar, Shivaprasad S; Patel, Archana et al. A prospective study of maternal, fetal and neonatal deaths in low- and middle-income countries. Bull World Health Organ 2014; 92(8): 605-612.
12. Organização Mundial de Saúde (OMS). Mulheres e saúde: evidências de hoje, agenda de amanhã. 2011. Disponível em <
https://www.who.int/eportuguese/publications/Mulheres_Saude.pdf>. [acesso: 2015/07/13].

Principio de p�gina
error on connection