ENTRAR            

 


 

PARANINFO DIGITAL 2015;22:352

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar este texto

Ir a Sumario

Documento anterior

Documento siguiente

Enviar correo al autor

Sin Ttulo


Modalidad de presentación:
comunicación digital

 

REF.: 352d

Prescrição de antimicrobianos em uma unidade básica de saúde de Imperatriz-MA
Jair da Silva Maracaipe, Floriacy Stabnow Santos, Janaina Miranda Bezerra, Ismália Cassandra Costa Maia Dias, Livia Maia Paschoal, Marcelino Santos Neto
Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Imperatriz, Brasil

Rev Paraninfo digital, 2015: 22

Cómo citar este documento
Maracaipe, Jair da Silva; Santos,Floriacy Stabnow; Bezerra, Janaina Miranda; Dias, Ismália Cassandra Costa Maia; Paschoal, Livia Maia; Neto, Marcelino Santos. Prescrição de antimicrobianos em uma unidade básica de saúde de Imperatriz-MA. Rev Paraninfo Digital, 2015; 22. Disponible en: <https://www.index-f.com/para/n22/352.php> Consultado el

RESUMO

Objetivou-se descrever a prescrição de antimicrobianos, suas indicações clínicas e interações medicamentosas em Unidade Básica de Saúde de Imperatriz � MA. Estudo descritivo, transversal no qual foram analisadas todas as prescrições medicamentosas no período entre março e abril de 2015. Das 121 prescrições com pelo menos um antimicrobiano, 59,50% foram para o sexo feminino e 40,50% para o masculino e em 33,05% não constava a indicação clínica. A faixa etária entre 2 e 10 anos foi a que mais fez uso de antimicrobianos, sendo a amoxicilina o mais prescrito. Amigdalite, infecção das vias aéreas não especificadas e infecções no trato urinário foram as indicações clínicas evidenciadas. Identificaram-se interações medicamentosas de gravidade menor a moderada. Torna-se indispensável que os profissionais prescritores atentem para o registro de anotações indispensáveis no prontuário dos pacientes, bem como façam cumprir protocolos terapêuticos com vistas a não ocorrência de interações medicamentosas, garantindo o uso racional dos antimicrobianos.
Palavras chaves: Prescrição/ Antimicrobianos/ Atenção Primária.
 

ABSTRACT
Antimicrobial prescription in a basic health unit of Imperatriz-MA

This study aimed to describe the use of antimicrobial agents, their clinical indications and drug interactions in Imperatriz Health Unit - MA. Descriptive, cross-sectional study in which they analyzed all drug prescriptions between March and April 2015. Of the 121 prescriptions with at least one antimicrobial, 59.50% were for females and 40.50% for male and 33 , 05% was not on the clinical indication. The age range between 2 and 10 years was the one that made more use of antimicrobials, and amoxicillin as prescribed. Tonsillitis, infection of the airways and unspecified urinary tract infections were the clinical indications evidenced. Drug interactions were identified minor to moderate. It is essential that prescribers professionals need to register indispensable notes in the medical records of patients, as well as enforce treatment protocols in order not to drug-drug interactions, ensuring the rational use of antimicrobials.
Key-words: Prescription/ Antimicrobials/ Primary attention.
 

RESUMEN
La prescripción antimicrobiana en una unidad básica de salud de Imperatriz-MA

Este estudio tuvo como objetivo describir el uso de agentes antimicrobianos, sus indicaciones clínicas y las interacciones medicamentosas en la Unidad de Salud Imperatriz - MA. Estudio descriptivo, transversal, en el que se analizaron todas las recetas de drogas entre marzo y abril de 2015. De las 121 recetas con al menos un antimicrobiano, 59,50% eran para las mujeres y 40,50% para los varones y 33 , 05% no estaba en la indicación clínica. El rango de edad entre los 2 y 10 años fue el que hizo un mayor uso de los antimicrobianos, y amoxicilina según lo prescrito. Amigdalitis, infecciones de las vías respiratorias y las infecciones del tracto urinario no especificados fueron las indicaciones clínicas evidenciadas. Interacción con otros medicamentos se identificaron menor a moderada. Es esencial que los prescriptores profesionales necesitan para registrar notas indispensables en los registros médicos de los pacientes, así como cumplir los protocolos de tratamiento con el fin de no interacciones fármaco-fármaco, garantizando el uso racional de los antimicrobianos.
Palabras clave: Receta/ Antimicrobianos/ Atención primaria.
 

Bibliografía

1. Katzung BG. Farmacologia básica e clínica. 9ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara 2006. 991p.
2. Tavares NUL et al. Prescrição de antimicrobianos em unidades de saúde da família no Sul do Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro. vol.24, n..8, p.1791-1800. Agosto 2008. Disponível em <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X2008000800008&script=sci_arttext>. Acessado em 03 de junho de 2015.
3. Leão DFL et al. Avaliações de interações medicamentosas potenciais em prescrições da atenção primária de Vitória da Conquista (BA), Brasil. Ciênc. saúde coletiva. Rio de Janeiro, vol.19, n.1, p. 311-318 Jan., 2014. Disponível em <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232014000100311&script=sci_arttext>. Acessado em 07 de maio 2015.
4. Nicolini P et al. Fatores relacionados à prescrição médica de antibióticos em farmácia pública da região Oeste da cidade de São Paulo. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, vol.13, n. l, p.689-696. Abril 2008. Disponível em <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232008000700018>. Acessado em 10 de junho de 2015.
5. Del Fiol FS et al. Perfil de prescrições e uso de antibióticos em infecções comunitárias. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba v. 43, n. 1, p. 68-72, Jan/Feb 2010. Disponível em <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822010000100015>. Acessado em 13 de junho de 2015.
6. Anvisa. Agência Nacional de Vigilância Sanitária.  Disponível em <https://portal.anvisa.gov.br>.  Acessado em 13 de julho de 2015.
7. Oliveira KR, Destefani SRA. Perfil da prescrição e dispensação de antibióticos para crianças em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) no município de Ijuí � RS. Rev. Ciênc. Farm Básica Apl., São Paulo vol. 32, n. 3, p. 395-401. Fev. 2011. Disponível em <https://serv-bib.fcfar.unesp.br/seer/index.php/Cien_Farm/article/viewFile/1545/1184>. Acessado em 06 de junho 2015.
8. Abrantes PM et al. Avaliação da qualidade das prescrições de antimicrobianos dispensadas em unidades públicas de saúde de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, 2002. Cad. Saúde Pública. Rio de Janeiro. v.23 n.1, Jan. 2007. Disponível em <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000100011> Acessado em 28 de maio de 2015.
9. Oliveira KR,  Munaretto P. Uso racional de antibióticos: Responsabilidade de Prescritores, Usuários e Dispensadores. Revista Contexto & Saúde. Ujuí, v. 9 n.18  p. 43-51. Jan/Jun 2010. Disponível em <https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoesaude/article/view/1470/1224>. Acessado em 05 de junho de 2015.
10. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Medicamentos 2001. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2001. 40p. Disponível em <https://bvsms.saude.gov.br/> Acessado em 04 de julho de 2015.
11. Abrantes PM et al. A qualidade da prescrição de antimicrobianos em ambulatórios públicos da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, MG. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, vol.13, n. l. p.711-720 Abril 2008. Disponível em <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0102311X2007000100011&lng=en&nrm=iso&tlng=pt> Acessado em 21 de maio 2015.
12. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Formulário terapêutico nacional 2008: Rename 2006 / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. � Brasília : Ministério da Saúde, 2008. 897 p. Disponível em <https://bvsms.saude.gov.br/>.  Acessado em 02/07/2015.
13. Sehn R et al. Interações medicamentosas potenciais em prescrições de pacientes hospitalizados. Infarma. Brasília, v. 15, n. 9-10, p. 77-81, Set/Out 2003. Disponível em <https://www.cff.org.br/sistemas/geral/revista/pdf/86/infarma007.pdf>.  Acessado em 10 de junho 2015.
14. Vasconcellos MM et al. Registros em saúde: avaliação da qualidade do prontuário do paciente na atenção básica. Cad. saúde pública. Rio de Janeiro  v. 24, n. 1, p. S173-S82, 2008. Disponível em <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X2008001300021&script=sci_arttext>. Acessado em 11 de julho de 2015.

Principio de p�gina
error on connection