ENTRAR            

 


 

PARANINFO DIGITAL 2015;22:086

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar este texto

Ir a Sumario

Documento anterior

Documento siguiente

Enviar correo al autor

Sin Ttulo


Modalidad de presentación:
comunicación digital

 

Assédio moral e a enfermagem: discutindo suas consequências sob a ótica de discentes de pós-graduação
Fernanda de Carvalho Dantas, Bianka Queiroz da Silva, Joana Ferraz, Rayssa Vollmer  Claudia de Carvalho Dantas
Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, Brasil

Rev Paraninfo digital, 2015: 22

Cómo citar este documento
Dantas, Fernanda de Carvalho; Silva, Bianka Queiroz da; Ferraz, Joana; Dantas, Rayssa Vollmer  Claudia de Carvalho. Assédio moral e a enfermagem: discutindo suas consequências sob a ótica de discentes de pós-graduação. Rev Paraninfo Digital, 2015; 22. Disponible en: <https://www.index-f.com/para/n22/086.php> Consultado el

O assédio moral é considerado um tipo de violência com características próprias e que desencadeiam consequências na vida do profissional. �Compreendido como sendo uma violência psicológica, sutil, dissimulada, intencional, de caráter repetitivo e prolongado, com a intenção de humilhar e excluir socialmente uma pessoa no contexto da atividade laboral�. O assédio moral é conhecido pelo mundo de diversas formas, e uma delas é o mobbing. �O termo mobbing vem do verbo em inglês to mob, o qual significa assediar, atacar, agredir. Dessa forma, o mobbing caracteriza-se por uma degradação do ambiente de trabalho�. E, autor esclarece ainda que [seguir leyendo].


Bibliografía

1. Cahú GPR, Leite AIT, Nóbrega MML, Fernandes MGM, Costa KNFM, Costa SFG. Assédio moral: análise de conceito na perspectiva evolucionista de Rodgers. Acta paul. enferm.  2012;  25(4): 555-559.
2. Soares, FC. O assédio moral no ordenamento jurídico brasileiro. Belo Horizonte. Revista Fórum Trabalhista. 2014; 11(3), 21-47.
3. Galvão E.  Assédio Moral. Saúde Experts. [Internet]. 2015 Mar. [Citado em 2015 Junho 15]; Disponível em
https://saudeexperts.com.br/assedio-moral/.
4. Garbin AC ,Fischer FM. Assédio moral, ética e sofrimento no trabalho. Rev. bioét. (Impr.). 2013; 21 (2): 251-8
5. Fontes KB, Carvalho MDB. Variáveis envolvidas na percepção do assédio moral no ambiente laboral da Enfermagem. Umuarama. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2012; 20(4):251-8
6. Costa ICP, Costa SFG da, Andrade CG de, Oliveira RC de, Abrão FM da S, Silva, CRL da. Produção Científica acerca de assédio moral em dissertações e teses no cenário brasileiro. RevEscEnferm USP. 2015; 49(2):267-276.
7. Bireme. Biblioteca virtual em saúde. Descritores. Disponível em:
https://decs.bvs.br/. Acesso em: 03 jul. 2015.
8. Minayo, MCS. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 23ªed. Petrópolis, RJ: Vozes; 2004.
9. Lakatos EM, Marconi MA. Fundamentos de metodologia científica 5ªed. - São Paulo: Atlas; 2003.
10. Brasil. Ministério da Saúde . Resolução nº. 466/2012. Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisa Envolvendo Seres Humanos. Brasília: Conselho Nacional de Saúde; 2012.
11. Brasil. Ministério da Saúde. Assédio Moral e sexual no trabalho: prevenção e enfrentamento na Fiocruz; 2014.
12. Cahú GR, Costa SF, Costa IC, Batista PS, Batista JB. Situações de assédio moral vivenciadas por enfermeiros no ambiente de trabalho. Acta Paul Enferm. 2014; 27(2):151-6
13. Pereira IV, Lisboa MTL. Assédio Moral entre docentes-enfermeiros nas relações de trabalho: Consequências e Repercussões [Apresentação no Seminário Nacional de Pesquisa da Associação Brasileira de Enfermagem; 2011 jun:19-22, Mato Grosso do Sul, Brasil].

Principio de p�gina
error on connection