A

Inicio web Index
 

Inicio Index

Enviar correo

Inicio Revista

ISSN: 1988-3439

  

PARANINFO DIGITAL 2014;20:454

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar este texto

Ir a Sumario

Documento anterior

Documento siguiente

Enviar correo al autor

Sin Ttulo


Modalidad de presentación:
comunicación digital

 

REF.: 454d

Qualidades necessárias ao enfermeiro para o desempenho de suas atividades nos serviços de saúde
Fernanda de Carvalho Dantas,1 Evelyn Antunes Souza,2 Claudia de Carvalho Dantas2
(1) Hospital Municipal Souza Aguilar. Rio de Janeiro, Brasil. (2) Universidade Federal Fluminense. Rio de Janeiro, Brasil

Rev Paraninfo digital, 2014: 20

Cómo citar este documento
Dantas, Fernanda de Carvalho; Souza, Evelyn Antunes; Dantas, Claudia de Carvalho. Qualidades necessárias ao enfermeiro para o desempenho de suas atividades nos serviços de saúde. Rev Paraninfo Digital, 2014; 20. Disponible en: <http://www.index-f.com/para/n20/454.php> Consultado el 16 de Diciembre del 2019

RESUMO

Objetivo: analisar as qualidades necessárias ao enfermeiro para o desempenho de suas atividades sob a ótica de técnicos e auxiliares de enfermagem de uma instituição de saúde localizada no Estado do Rio de Janeiro. Metodologia: pesquisa qualitativa, descritivo � exploratória, aprovada pelo Parecer CEP/HUAP/UFF Nº 242.736/2013. Os sujeitos/cenário foram 84 técnicos e auxiliares de uma instituição de saúde, localizada no Rio de Janeiro. Os dados foram coletados durante o ano de 2013 e início de 2014, através de entrevista gravada e submetidos à análise temática. Resultados: a maioria pertence ao sexo feminino com idade entre 31 e 35 anos. Da análise emergiram três unidades temáticas. Conclusão: Conclui-se que a principal qualidade necessária ao enfermeiro para o trabalho em equipe sob a ótica dos participantes é a liderança.
Palavras chave: Enfermeiros/ Enfermagem/ Equipe de enfermagem.

Bibliografía

1. Peres AM, Ciampone MHT. Gerência e competências gerais do enfermeiro. Texto Contexto Enferm. 2006;15(3):492-9.

2. Pirolo SM, Chaves EC. A equipe de enfermagem e o mito do trabalho em grupo. Rev. esc. enferm. USP. 2002; 36(4): 789-95.  

3. Abreu LO. O trabalho de equipe em enfermagem: revisão sistemática da literatura. Rev. bras. enferm. 2005; 58(2): 256-59.   

4. Moscovici F. Equipes dão certo: a multiplicação do talento humano. 5ªed. Rio de Janeiro (RJ): José Olympo; 2003.   

5. Zarifian P. Objetivo Competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas; 2001.

6. Reibnitz KS; Prado NL. Inovação e Educação em Enfermagem. Florianópolis: Cidade Futura; 2006.

7. Minayo MCS. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 23ªed. Petrópolis: Vozes; 2004.

8. Ministério da Saúde (BR). Resolução nº. 466/2012. Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisa Envolvendo Seres Humanos. Brasília: Conselho Nacional de Saúde; 2012.

9. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 2ª ed. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Abrasco; 1997.

10. Ministério da Saúde (BR). Política Nacional de Atenção Básica. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2006.          

11. Ministério da Educação (BR). Resolução No 3, de 07 de novembro de 2001 (BR). Dispõe sobre as Diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Enfermagem. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2001.

12. Shirey MR. Authentic leaders creating healthy work environments for nursing practice. Am J CritCare. 2006;15(3):256-67.

13. MenárguezPuche JF, Saturno Hernández PJ. Characteristics of the leadership of health center coordinators in the autonomous community of Murcia. Aten Primaria. 1998; 22(10):636-41.

14. Lanzoni GM, Meirelles B. Liderança do enfermeiro: uma revisão integrativa da literatura. Rev. Latino-Am. Enfermagem 2011; 19(3): 146-49.   

15. Aguilar-Luzón MC, Calvo-Salguero A, García-Hita MA. Valores laborales y percepcióndel estilo de liderazgoenpersonal de enfermería. Salud Publica Mex. 2007; 49(6):401-7

16. Shirey MR. Authentic leaders creating healthy work environments for nursing practice. Am J CritCare. 2006;15(3):256-67.

17. Menárguez Puche JF, Saturno Hernández PJ. Characteristics of the leadership of health center coordinators in the autonomous community of Murcia. Aten Primaria. 1998; 22(10):636-41.

18. Silva RC, Kaczmarkiewicz CC, Cunha JJ, Meira IC, Figueiredo NMA, Porto IS. O significado da tecnologiana assistência de enfermagem em pós-operatório imediatode cirurgia cardíaca. Rev SOCERJ. 2009;22(4):210-8

19. Martins C. Perfil do enfermeiro e necessidades de desenvolvimento de competência profissional. Textocontexto - enferm. 2006; 15(3): 181-89.   

20. Garrido MCF. Cotidiano da educação continuada em enfermagem: valorização do cuidar. Mundo Saúde. 2000; 24 (5): 372�79.

21. Oguisso T. Perfil do enfermeiro de unidades ambulatoriais do INAMPS no Brasil. Rev. Esc. Enferm. USP. 1990; 24 (1): 77�92.

22.Vale EG, Pagliuca LMF. Construção de um conceito de cuidado de enfermagem: contribuição para o ensino de graduação. Rev. bras. enferm. 2011; 64(1): 81-9.

Principio de p᧩na
Comentarios


DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario:

 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería