ENTRAR            

 


 

PARANINFO DIGITAL 2014;20:453

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar este texto

Ir a Sumario

Documento anterior

Documento siguiente

Enviar correo al autor

Sin Ttulo


Modalidad de presentación:
comunicación digital

 

REF.: 453d

Sífilis congênita: análise dos últimos cinco anos
Juliana Raquel Silva Souza, Samara Isabela Maia de Oliveira, Nilba Lima de Souza, Jovanka Bittencourt Leite de Carvalho, Richardson Augusto Rosendo da Silva, Rhuama Karenina Costa e Silva
Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, Brasil

Rev Paraninfo digital, 2014: 20

Cómo citar este documento
Silva Souza, Juliana Raquel; de Oliveira, Samara Isabela Maia; de Souza, Nilba Lima; Bittencourt Leite de Carvalho, Jovanka;o da Silva, Richardson Augusto Rosend; Silva, Rhuama Karenina Costa e. Sífilis congênita: análise dos últimos cinco anos. Rev Paraninfo Digital, 2014; 20. Disponible en: <http://www.index-f.com/para/n20/453.php> Consultado el 06 de Junio del 2020

 

Dentre os benefícios atrelados ao avanço da medicina moderna destaca-se a agilidade diagnóstica e terapêutica ao passo que inúmeras doenças transmissíveis já podem ser controladas, e com isso evita-se a transmissão vertical de infecções responsáveis por síndromes congênitas. Provocada pela bactéria Treponema Pallidum, a Sífilis é uma das patologias consideradas foco de estudos da Medicina moderna, e por esse motivo possui fácil controle e rápida ação diagnóstica através de tecnologias leves. Quando o tratamento para a Sífilis é iniciado prontamente, com eficiência em sua conduta e principalmente com a adesão pelo casal envolvido, apresenta alto nível de controle e evita-se, em sua totalidade, a contaminação vertical da doença [seguir leyendo].

Referências

1. Costa CC, Freitas LV, Sousa DMN, Oliveira LL, Chagas ACMA, Lopes MVO et al. Sífilis congênita no Ceará: análise epidemiológica de uma década. Rev Esc Enferm USP. 2013; 47(1):152-9.

2. Cavagnaro FSM, Pereira RT, Pérez CP, Vargas VF, Sandoval CC. Sífilis congénita precoz: A propósito de 2 casos clínicos. Rev Chil Pediatr. 2014; 85(1):86-93.

3. Araujo CL, Shimizu HE, Sousa AIA, Hamann EM. Incidence of congenital syphilis in Brazil and its relationship with the Family Health Strategy. Rev Saude Publica. 2012; 46(3):479-86.

4. Magalhães DMS, Kawaguchi IAL, Dias A, Calderon IMP. Sífilis materna e congênita: ainda um desafio. Cad Saúde Publica. 2013; 29(6):1109-1120.

5. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico - Sífilis. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

6.Campos ALA, Araújo MAL, Melo SP, Gonçalves MLC. Epidemiologia da sífilis gestacional em Fortaleza, Ceará, Brasil: um agravo sem controle. Cad Saude Publica. 2010; 26(9):1747-55.

7. Holanda MTCG, Barreto MA, Machado KMM, Pereira RC. Perfil epidemiológico da sífilis congênita no Município do Natal, Rio Grande do Norte - 2004 a 2007. Epidemiol Serv Saúde. 2011; 20(2):203-12.

8. Lima MG, Santos RFR, Barbosa GJA, Ribeiro GS. Incidência e fatores de risco para sífilis congênita em Belo Horizonte, Minas Gerais, 2001-2008. Ciênc Saúde Coletiva. 2013; 18(2):499-506.

9. Melo NGDO, Filho DAM, Ferreira LOC. Diferenciais intraurbanos de sífilis congênita no Recife, Pernambuco, Brasil (2004-2006). Epidemiol Serv Saúde. 2011; 20(2):213-222.

10. Domingues RMSM, Saraceni V, Hartz ZMA, Leal MC. Sífilis congênita: evento sentinela da qualidade da assistência pré-natal. Rev Saude Publica. 2013; 47(1):147-57.  

11. Fonte VRF, Spindola T, Martins ERC, Francisco MTR, Clos AC, Pinto RC. Conhecimento de gestantes de um hospital universitário relacionado à prevenção de DST/AIDS. Rev Enferm UERJ. 2012; 20(4):493-9.

12. Cardoso LSM, Mendes LL, Meléndez GV. Diferenças na atenção pré-natal nas áreas urbanas e rurais do Brasil: estudo transversal de base populacional. Rev Min Enferm. 2013; 17(1):85-92.

13. Mesquita KO, Lima GK, Flôr SMC, Freitas CASL, Linhares MSC. Perfil epidemiológico dos casos de sífilis em gestante no município de sobral, Ceará, de 2006 a 2010. Sanare - Rev Polít Públicas. [periódico na Internet]. 2012 [18/08/2014]; 11(1). Disponível em: http://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/261/234

14. Domingues RMSM, Lauria LM, Saraceni V, Leal MC. Manejo da sífilis na gestação: conhecimentos, práticas e atitudes dos profissionais pré-natalistas da rede SUS do município do Rio de Janeiro. Ciênc Saúde Coletiva. 2013; 18(5):1341-51.

Principio de p᧩na