ENTRAR            

 


 

PARANINFO DIGITAL 2014;20:452

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar este texto

Ir a Sumario

Documento anterior

Documento siguiente

Enviar correo al autor

Sin Ttulo


Modalidad de presentación:
comunicación digital

 

REF.: 452d

Musicoterapia no acolhimento em sala de espera: favorecendo práticas de educação em saude
Gracimary Alves Teixeira, Emelynne Gabrielly de Oliveira Santos, Mércio Gabriel de Araújo, Jovanka Bittencourt Leite de Carvalho
Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, Brasil

Rev Paraninfo digital, 2014: 20

Cómo citar este documento
Alves Teixeira, Gracimary; de Oliveira Santos, Emelynne Gabrielly; de Araújo, Mércio Gabriel; Bittencourt Leite de Carvalho, Jovanka. Musicoterapia no acolhimento em sala de espera: favorecendo práticas de educação em saude. Rev Paraninfo Digital, 2014; 20. Disponible en: <http://www.index-f.com/para/n20/452.php> Consultado el 02 de Junio del 2020

RESUMO

Objetivo: relatar educação em saúde a partir da musicoterapia como instrumento de acolhimento na sala de espera.
Método: ações realizadas com graduandos do 5º período do curso de enfermagem, nos meses de outubro e novembro de 2013, nas unidades básicas de saúde do município de Santa Cruz, Rio Grande do Norte.
Resultados e discussão: a utilização de músicas voltadas para escolhas, felicidade e enfrentamento de problemas foram alvos da discussão com os usuários estimulando elementos resilientes. O contexto religioso foi relacionado à saúde física e mental e apontou para relações positivas com o bem-estar. Discutiu-se a saúde como estilo de vida saudável e qualidade de vida, sendo realizados alongamentos, atividades físicas e incentivos para alimentação saudável.
Considerações finais: A adesão à musicoterapia foi bem aceita pelos usuários. A educação em saúde busca favorecer a autonomia dos sujeitos envolvidos. Assim, criar novas práticas de saúde é possível e necessário para a melhoria da qualidade de vida da comunidade.
Descritores: Musicoterapia/ Acolhimento/ Educação em Saúde/ Atenção Primária à Saúde/ Enfermagem.

ABSTRACT
Music therapy in waiting room reception: favoring practices in health education

Objective: to report health education from the music therapy as host instrument in waiting room.
Method: actions performed by students in 5th semester of nursing graduate course in months October and November in 2013, in basic health units in Santa Cruz city, Rio Grande do Norte.
Results and discussion: the use of music oriented to choices, happiness and coping problems were targets of discussion to users stimulating resilient elements. Religious context was related to physical and mental health and pointed to positive relationships relatives to well-being. It was discussed the health as healthy lifestyle and quality of life, had been carried out physical activities and incentives for healthy food.
Concluding remarks: The compliance of the music therapy was well accepted by public health users. Health education seeks to encourage autonomy of the subjects involved. So, to create new health practices is possible and necessary to improve the quality life in community of this research.
Descriptors: Music therapy/ User embracement/ Health education/ Primary health care/ Nursing.

Referências

1. Pimentel Adriana de Freitas, Barbosa Ruth Machado, Chagas Marly. A musicoterapia na sala de espera de uma unidade básica de saúde: assistência, autonomia e protagonismo. Interface - Comunic, Saude, Educ 2011 jul/set; 15(38):741-54

2. Brasil. Política nacional de humanização da atenção e da gestão do SUS - material de apoio. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

3. Braga Lucineide Alves Vieira, Dias Maria Djair, Ferreira Filha Maria de Oliveira, Moraes Marina Nascimento, Araruna Mayra Helen Menezes, Rocha Ianine Alves. Community therapy and resilience: history of women. Cuid fundam. online 2013; jan/mar 5(1):3453-71

4. Bergold Leila Brito, Alvim Neide Aparecida Titonelli. A música terapêutica como uma tecnologia aplicada ao cuidado e ao ensino de enfermagem. Esc Anna Nery Rev Enferm 2009 jul/set; 13(3):537-42.

5. Brasil. Resolução CNE/CES 3/2001 de 7 de novembro de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. Diário Oficial da União [Internet]. Nov 2001 [cited 2014 ago 02].

6. Silva Mara Regina Santos, Silva Priscila Arruda, Dias Andrea Basílio, Medeiros Gabriela Luvielmo, Silva Bárbara Tarouco, Botelho Luciana Rodrigues. Aplicação e implicações do conceito de resiliência na prática de enfermagem/saúde.  Cienc Cuid Saude 2009; 8 (suplem.):55-61.

7. Noronha Maria Glícia Rocha Costa Silva, Cardoso Paloma Sandré, Moraes Tatiana Nemoto Piccoli, Centa Maria de Lourdes. Resiliência: nova perspectiva na promoção da saúde da família? Ciência & Saúde Coletiva 2009; 14(2):497-506.

8. Alminhana Letícia Oliveira, Moreira-Almeida Alexander. Personalidade e religiosidade/espiritualidade (R/E). Rev Psiq Clín. 2009; 36(4):153-61.

9. Borsa Juliane Callegaro. O papel da amizade ao longo do ciclo vital. Psico-USF 2013 jan/abril; 18(1):161-162.

10. Zanini Claudia Regina de Oliveira, Jardim Paulo César Brandão Veiga, Salgado Claudia Maria, Nunes Mariana Cabral, et al. O efeito da musicoterapia na qualidade de vida e na pressão arterial do paciente hipertenso. Arq Bras Cardiol 2009; 93(5):534-540.

Principio de p᧩na