ENTRAR            

 


 

Investigacin en Enfermera: Imagen y Desarrollo 2016; v18n1 18045

 

 
Artículos
 

 Ir a sumario    Acceso al texto completo

Investigación en Enfermería: Imagen y
desarrollo
[Inv Enf]
2016 ene-jun; 18(1): 45-62

 Recebido: 21/10/2014
Aprobado: 17/4/2015

Evolução clínica de pacientes submetidos à revascularização do miocárdio em um hospital universitário de 2004 a 2008

 

Rita Inês Casagrande da Silva,1 Leila Massaroni,2 Denise Silveira de Castro,3 Eliana Zandonade,4 Maria Helena Costa Amorim5
(1) Mestre em Saúde Coletiva. Professora do Departamento de Enfermagem do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil. Doutoranda em Enfermagem pela Escola de Enfermagem Anna Nery da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil. Correio eletrônico: ritainesc@gmail.com (2) Doutora em Enfermagem. Professora do Departamento de Enfermagem do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil. Coordenadora adjunta do Programa de Pós Graduação em Enfermagem/UFES. (3) Doutora em Enfermagem. Professora do Programam de Pós Graduação em Enfermagem do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil. (4) Doutora em Estatística. Professora do programa de Pós Graduação em saúde Coletiva do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil. (5) Doutora em Enfermagem. Professora do Departamento de Enfermagem do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil. Coordenadora do Programa de Pós Graduação em Enfermagem/UFES

Cómo citar este documento:
Silva, Rita Inês Casagrande da; Massaroni, Leila; Castro, Denise Silveira de; Zandonade, Eliana; Amorim, Maria Helena Costa. Evolução clínica de pacientes submetidos à revascularização do miocárdio em um hospital universitário de 2004 a 2008. Investigación en Enfermería: Imagen y Desarrollo. 2016 ene-jun, 18(1). En: <http://www.index-f.com/invenf/18/18045.php> Consultado el

 

Resumo

Objetivo: Analisar a evolução clínica no período peri-operatório de pacientes submetidos à revascularização do miocárdio em hospital de ensino. Métodos: estudo descritivo de dados secundários de 147 prontuários de pacientes submetidos à revascularização do miocárdio (RM) em hospital de ensino, no período entre 2004 e 2008. Para a análise dos dados utilizou-se o método descritivo e o pacote estatístico para Ciências Sociais SPSS (18.0). Resultados: predominância do sexo masculino, com faixa etária entre 50 e 69 anos. A maioria dos pacientes, 66,7% sofria de hipertensão arterial e 77,6% tinham três ou mais doenças associadas. Tempo total de espera entre o cateterismo cardíaco e a RM apresentou mediana de 55 dias. A cirurgia foi suspensa em 26,53% dos pacientes por problemas de estrutura, ao paciente e ao administrativo, sendo a falta de leito no centro de terapia intensiva (CTI) a principal causa. Constatou-se que 78,23% internaram na enfermaria. O tempo de permanência hospitalar teve mediana de 15 dias. O tempo de permanência no CTI teve mediana de 3 dias. Internação pré-operatória ocorreu uma vez em 21% dos pacientes. A reinternação ocorreu em 6,8% dos pacientes, tendo como principal motivo a infecção em 4,08% dos pacientes. O óbito foi constatado em 11,6% dos pacientes com idade acima de 50 anos e a maioria, 76,5% morreu no CTI. Conclusão: a análise das variáveis clínicas propostas apontou para resultados compatíveis com o panorama nacional. Contudo, identificouse a fragilidade relacionada à gestão de recursos humanos e do desenvolvimento das atividades hospitalares, tendo como resultado, a fragmentação do atendimento e do planejamento assistencial.
Palavras chave: Procedimentos cirúrgicos cardíacos/ Revascularização miocárdica/ Serviço hospitalar de cardiologia/ Assistência peri-operatória/ Acesso aos serviços de saúde.
 

Resumen
Evolución clínica de pacientes sometidos a cirugía de revascularización miocárdica en un hospital universitario de 2004 a 2008

Objetivo: Analizar la evolución clínica en el periodo perioperatorio de pacientes sometidos a cirugía de revascularización miocárdica en un hospital universitario. Métodos: estudio descriptivo de datos secundarios de 147 registros de pacientes sometidos a cirugía de revascularización miocárdica en el periodo 2004-2008. Se utilizó el método descriptivo y el paquete estadístico SPSS (18.0). Resultados: Predominio del sexo masculino, con grupo etario entre 50 y 69 años. Un 66,7 % sufría de hipertensión arterial y el 77,6 % tenía 3 o más enfermedades asociadas. El tiempo total de espera entre el cateterismo cardiaco y la cirugía presentó una mediana de 55 días. La cirugía fue suspendida en el 26,53 % de los casos, por problemas de la estructura, con el paciente o administrativos. Se constató que el 78,23 % fue admitido por enfermería y el tiempo de estancia en el hospital tuvo una mediana de 15 días. La estancia en terapia intensiva tuvo una mediana de 3 de días. La internación preoperatoria ocurrió una vez en el 21 % de los pacientes. Una nueva internación ocurrió en el 6,8 % de los pacientes, principalmente debido a la infección (4,08 %). Conclusión: El análisis de las variables clínicas propuestas señaló resultados coherentes con el panorama nacional. Sin embargo, se identificó la debilidad relacionada con la gestión de los recursos humanos y del desarrollo de las actividades hospitalarias, cuyo resultado es la fragmentación de la atención y de la planificación de la atención.
Palabras clave: Procedimientos quirúrgicos cardiacos/ Revascularización miocárdica/ Servicio de cardiología en hospital/ Atención perioperativa/ Accesibilidad a los servicios de salud.
 

Abstract
Clinical Course of Patients Subject to Myocardial Revascularization Surgery in a University Hospital from 2004 to 2008

Objective: To analyze the clinical course in the perioperative phase of patients subject to myocardial revascularization surgery in a university hospital. Methods: Descriptive study of secondary data from 147 records of patients subject to myocardial revascularization surgery during the 2004-2008 period. A descriptive method was used along the SPSS Statistical Software Package (18.0). Results: Predominance of male patients, in the age group between 50 and 69 years. A 66.7% of them suffered arterial hypertension and 77.6% had 3 or more related diseases. The total waiting time between the cardiac catheterization and the surgery showed a median of 55 days. Surgery was suspended in 26.53% of the cases, due to structural problems, either patient or management- related. It was confirmed that a 78.23% of the patients was admitted to the infirmary and the total hospital stay time had a median of 15 days. The intensive care stay had a median of 3 days. Preoperative admittance happened once in a 21% of the patients. A new admittance happened in 6.8% of the patients, mainly due to infection (4.08%). Conclusions: The analysis of the proposed clinical variables showed results coherent with the national outlook. However, we identified a weakness related to the management of human resources and the development of hospital activities. The result of the aforementioned weakness is the fragmentation of care and care planning.
Key-words: Cardiac surgical procedures/ Myocardial revascularization/ Hospital cardiology service/ Perioperative care/ Accessibility of health services.
 

Referências

1. World Health Organization. Cardiovascular diseases [internet]; 2013 [citado 2013 dez 18]. Disponível em http://www.who.int/cardiovascular_diseases/en/.

2. Ministério da Saúde (BR); Organização Pan-Americana da Saúde. Doenças crônicas não transmissíveis: estratégias de controle e desafios e para os sistemas de saúde [internet]. Brasília; 2011 [citado 2015 mar 15]. Disponível em: http://apsredes.org/site2012/wp-content/uploads/2012/06/Condicoes-Cronicas_flavio1.pdf.

3. Ministério da Saúde (BR). Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2020 [internet]. Brasília; 2011 [citado 2015 mar 15]. Disponível em: http://actbr.org.br/uploads/conteudo/918_cartilha_dcnt.pdf

4. Cesar LA, Ferreira JF, Armaganijan D, Gowdak LH, Mansur AP, Bodanese LC, et al. Diretriz de doença coronária estável. Arq Bras Cardiol. 2014;103(2 Supl 2):1-59.

5. Gomes WJ, Mendonça JT, Braile DM. Resultados em cirurgia cardiovascular: oportunidade para rediscutir o atendimento médico e cardiológico no sistema público de saúde do país [editorial]. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2007;22(4):III-VI.

6. Carvalho MRM, Silva NAS, Oliveira GMM, Klein CH. Associação de fatores pré-operatórios e óbitos na cirurgia de revascularização miocárdica em hospitais públicos do Rio de Janeiro: 1999-2003. Rev SOCERJ. 2008;21(5):311-9.

7. European Society of Cardiology (ESC); European Association of Cardio- Thoracic Surgery (EACTS). Recomendações sobre revascularização do miocárdio. Eur Heart J. 2011;30:951-1005.

8. Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia sobre angina instável e infarto agudo do miocárdio sem supradesnível do segmento ST. Arq Bras Cardiol. 2014;102(3Supl. 1):1-61.

9. Carvalho ARS. Estudo retrospectivo das complicações intraoperatórias na cirurgia de revascularização do miocárdio. Rev Eletrônica Enferm [internet]. 2009;10(4):1057-65. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v10/n4/v10n4a18.htm.

10. Murad H, Murad FF. Controle de qualidade em cirurgia cardiovascular: um paradigma a ser atingido. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2007;22(4):470-5.

11. Silva, RIC. Perfil dos pacientes revascularizados do miocárdio no período de 2004 a 2008 em um Hospital Universitário do Espírito Santo [dissertação de mestrado]. Universidade Federal do Espírito Santo. Centro de ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Vitória; 2009.

12. Barbosa ACC, Passos LCS, Lopes AA, Andrade WLG, Souza LR, Nunes MB. Avaliação da adequação do controle de fatores de risco cardiovascular após cirurgia de revascularização miocárdica. Arq bras cardiol. 2007;89(6): 362-9.

13. Milani R, Milani R, Brofman P, Moutinho JA, Barboza L, Guimarães M, Barbosa A, et al. Revascularização total do miocárdio sem circulação extracorpórea em pacientes com disfunção ventricular esquerda. Arq bras cardiol. 2007;89(1):11-5.

14. Vecina G Neto, Malik AM. Tendências na assistência hospitalar. Ciênc Saúde Coletiva. 2007;12(4):825-39.

15. Mesquita ET, Ribeiro A, Araújo MP, Campos LAAC, Fernandes MA, Colafranceschi AS, et al. Qualidade assistencial em revascularização miocárdica. Arq Bras Cardiol. 2008;90(5):350-4.

16. Rexius H, Brandrup-Wognsen G, Odén A, Jeppsson A. waiting time and mortality after elective coronary artery bypass grafting. Ann Thorac Surg. 2005;79:538-43.

17. Peixoto RS, Pires Jr HR, Netto MRS, Montes Pena FM, Areas GS, Moraes FVD, et al. Revascularização miocárdica no idoso: experiência de 107 casos. Rev SOCERJ. 2009;22(1):24-30.

18. American College of Cardiology Foundation (ACCF); American Heart Association (AHA). Guideline for coronary artery bypass graft surgery: A report of the American College of Cardiology Foundation/American Heart Association task force on practice guidelines [internet]; 2011 [citado 2015 mar 15]. Disponível em: http://content.onlinejacc.org/article.aspx?articleid=1147818.

19. Anderson AJPG, Barros Neto FXR, Costa MA, Dantas LD, Hueb AC, Prata MF. Preditores de mortalidade em pacientes acima de 70 anos na revascularização miocárdica ou troca valvar com circulação extracorpórea. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2011;26(1):69-75.

20. Campagnucci PV, Silva AMRP, Pereira WL, Chamlian EG, Gandra SMA, Rivetti LA. EuroSCORE e os pacientes submetidos a revascularização do miocárdio na Santa Casa de São Paulo. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2008;23(2):262-7.

21. Escrivão A Jr. Uso da informação na gestão de hospitais públicos. Ciênc Saúde Coletiva. 2007;12(3):655-66.

22. Araujo NR, Araújo RA, Oliveira RC, Bezerra SMMS. Complicações pósoperatórias em pacientes submetidos a cirurgia de revascularização miocárdica. Rev Enferm UFPE. 2013;7(5):1301-10.

23. Santos CA, Oliveira MAB, Brandi AC, Botelho PHH, Brandi JCM, Santos MA, et al. Risk factors for mortality of patients undergoing coronary artery bypass graft surgery. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2014;29(4):513-20.

24. Ramos ARWR, Flores MB, Libonati RM, Quaresma AS. Preditores de mortalidade na cirurgia de revascularização do micáridio. Rev Bras Cardiol. 2013;26(3):193-9.

25. Giffhorn H. Avaliação de uma escala de risco em pacientes submetidos a cirurgia de revascularização do miocárdio: análise de 400 casos. Rev Bras Ter Intensiva [internet]. 2008 [citado 2015 mar 15];20(1):6-17. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-507X2008000100002.

26. Strabelli TMV, Stolf NAG, Uip DE. Uso prático de um índice de risco de complicações após cirurgia cardíaca. Arq Bras Cardiol. 2008;91(5):342-7.

27. Nery RM, Barbisan JN, Mahmud MI. Influência da prática da atividade física no resultado da cirurgia de revascularização miocárdica. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2007;22(3):297-302.

28. Oliveira EL, Westphal GA, Mastroeni MF. Características clínico-demográficas de pacientes submetidos à cirurgia de revascularização do miocárdio e sua relação com a mortalidade. Rev Bras Cir Cardiovasc. 2012;27(1):52-60.

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería