ENTRAR            

 


 

EVIDENTIA: ISSN 1697-638X 2017 v14 e10599r

 

 

 

 

 

 

 

 

REVISIÓN BIBLIOGRÁFICA

 

 Sumario

 

 

Discutindo a técnica de administração de medicamentos pela via intramuscular: revisão integrativa

Barbara Ragasse Pereira Gomes,1 Fabíola Alves Traverso,2 Graciele Oroski Paes3,4
(1) Enfermera especialista en pediatría. Instituto Nacional Fernandes Figueira, Fundación Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). Flamengo, Río de Janeiro, Brasil. (2) Enfermera especialista en cardiología. Escuela de Enfermería Alfredo Pinto (EEAP), Universidad Federal del Estado de Río de Janeiro (UNIRIO). Río de Janeiro, Brasil. (3) Doctora en enfermería, Profesora Asistente. Escuela de Enfermería Anna Nery (EEAN), Universidad Federal de Río de Janeiro (UFRJ). Río de Janeiro, Brasil. (4) Coordinadora e Investigadora del Grupo de Investigación y Extensión aplicado a la Seguridad en Salud, Seguridad del Paciente y las Tecnologías en el contexto de las prácticas basadas en evidencias (GEPESEG)

Manuscrito recibido el 15.9.2015
Manuscrito aceptado el
5.2.2016

Evidentia 2017; vol. 14

 

 

 

Cómo citar este documento

Gomes, Barbara Ragasse Pereira; Traverso, Fabíola Alves; Paes, Graciele Oroski. Discutindo a técnica de administração de medicamentos pela via intramuscular: revisão integrativa. Evidentia. 2017; vol. 14. Disponible en: <http://www.index-f.com/evidentia/v14/e10599.php> Consultado el

 

 

 

Resumo

Objetivos: Identificar a produção do conhecimento da enfermagem atrelado a técnica de administração de medicamentos pela via intramuscular; descrever as divergências, congruências, e ocorrência de complicações acerca da técnica; e analisar as recomendações descritas na literatura com as melhores práticas e atualizações clínicas na enfermagem. Método:Revisão integrativa. Realizada busca nas bases de dados LILACS, Pubmed, Medline, DEDALUS, Portal de Evidência em Saúde, Bibliotecas SciELO e Cochrane, no período de 1993 a 2013, totalizando 16 estudos. Resultados:Os estudos evidenciaram divergências: demarcação da região ventroglútea; realização de antissepsia; e aplicação de pressão antes da administração intramuscular. Consonâncias: aspiração do conteúdo da seringa após inserção da agulha na massa muscular, rodízio do local de aplicação durante sequências de injeções IM, dentre outros. Conclusão:A incorporação das melhores evidências permite a execução segura da técnica intramuscular, gerando conforto ao paciente e excelência na assistência.
Palavras-chave: Injeções intramusculares/ Vias de administração de medicamentos/ Hematoma/ Dor aguda/ Erupção por droga.

 

Abstract (Technique of drugs administration by the intramuscular injection: an integrative review)

Objective: Identify the production of nursing knowledge linked technique medication administration by the intramuscular injection, describing the differences, congruencies, and occurrence of complications of the technique and to analyze the recommendations described in literature with best practice and clinical updates in nursing. Method: Integrative review, Search performed on databases LILACS electronic databases, PubMed, Medline, DEDALUS, Portal of Evidence in Health and Libraries SciELO and Cochrane, in the period 1993-2013, totaling 16 studies. Results: Showed differences variations in the demarcation of the ventral-gluteal region, conducting antisepsis, and applying pressure before intramuscular administration. Consonances in the aspiration of the contents of the syringe after insertion of needle into the muscle, caster application site during sequences IM injections, among others. Conclusion: The incorporation of best evidence allows safe execution of intramuscular technique, providing comfort and excellence in the patient care.
Key-words: Intramuscular injections/ Drug administration routes/ Hematoma/ Acute pain/ Drug eruption.

 

Referências

1. Cassiani SHB, Rangel SM. Complicações locais pós-injeções intramusculares em adultos: revisão bibliográfica. Rev Medicina (Ribeirão Preto).1999 Out/Dez;32(4):444-50.
2. Oliveira VT, Cassiani SHDB. Análise técnica e científica da administração de medicamentos por via intramuscular em crianças por auxiliares de enfermagem.Acta Paul Enferm (on line).1997 Mai/Ago;10(2):46-61.
3. Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa:o que é e como fazer.Einstein. 2010; 8(1):102-6.
4. Cruz DALM, Pimenta CAM. Prática baseada em evidências, aplicada ao raciocínio diagnóstico. Rev Latinoam Enferm. 2005;13(3):416-21.
5. Galvão CM, Sawada NO.A liderança como estratégia para a implementação da prática baseada em evidências na enfermagem. Rev Gaúch Enferm. 2005; 26(3):293-301.
6. Sampaio RF, Mancini MC. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Rev Bras Fisioter.2007 Jan/Fev;11(1):83-9.
7. Pereira Al, Bachion MM. Atualidades em revisão sistemática de literatura, critérios de força e grau de recomendação de evidência. Rev Gaúch Enferm. 2006 Dez; 27(4):491-8p.
8. Souza MT Silva DS Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Ver Einstein. 2010; 8(1 Pt 1):102-6.
9. Nobre MR, Bernardo WM, Jatene FB. A prática clínica baseada em evidências. Parte I - questões clínicas bem construídas. Rev Bras Reomatol. 2004;44(6):397-402.
10. Lucena ICD, Barreira IA, Baptista SS. Cinquentenário do "manual de técnica de enfermagem" (1957-2007): contribuições na construção do saber de enfermagem.Esc Anna Nery Rev Enferm.2010;14(1):13-18.
11. Ursi ES.Prevenção de lesões de pele no perioperatório:revisão integrativa da literatura [dissertação]. Ribeirão Preto (SP): Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo; 2005.
12. Dalmolin IS, Freitag VL, Petroni S, Badke MR. Injeções intramusculares ventro-glútea e a utilização pelos profissionais de enfermagem. Rev Enferm UFSM. 2013;3(2):259-65.
13. Craven RF, Hirnle CJ. Fundamentos de enfermagem saúde e função humana. 4ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2006.
14. Potter PA, Perry AG.Fundamentos de enfermagem.7ªed. Rio de Janeiro (RJ): Elsevier Editora; 2009.
15. Meneses AS, Marques IR. Proposta de um modelo de delimitação geométrica para a injeção ventroglútea. Rev Bras Enferm. 2007;60(5):552-8.
16. Ferreira AM, Andrade D, Rigotti MA, Guerra OG. Antissepssia na administração de injetáveis:necessidade ou ritualismo? Rev Enferm UERJ.2009;17(1):130-3.
17. Kawamoto EE, Fontes JI. Fundamentos de Enfermagem. 2ª ed. São Paulo (SP): EPU; 1997.
18. Souza EF. Manual de enfermagem.6ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Editora Cultura Médica; 1993.
19. Figueiredo NMA. Administração de medicamentos: revisando uma prática de enfermagem. São Paulo(SP): Yedis Editora; 2005.
20. Chung JWY, Ng WM, Wong TK . An experimental study on the use of manual pressure to reduce pain in intramuscular injections. J Clin Nurs. 2002;11(4):457-61.
21. Prettyman J. Subcutaneous or intramuscular? Confronting a parenteral administration dilema. Medsurg Nurs. 2005;14(2):93-8.
22. Godoy S, Nogueira MS, Mendes IAC. Aplicação de medicamentos por via intramuscular: análise do conhecimento entre profissionais de enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2004;38(2):135-42.
23. Felipe AOB, Bazzano FCO, Andrade MBT, Terra FS. Avaliação dos efeitos inerentes à administração intramuscular de vacina nas regiões deltóidea e vasto lateral em crianças. Pediatria (São Paulo). 2011;33(2):73-80.
24. Rocha RP. Distribuição do nervo cutâneo lateral da coxa na área de injeção intramuscular. Rev Assoc Med Bras. 2002;48(4):353-6.
25. Cassiani SHB, Rangel SM. Complicações locais pós-injeções intramusculares em adultos: revisão bibliográfica. Rev Medicina (Ribeirão Preto).1999;32(4):444-50.
26. Meirelles H, Filho GRM. Lesão do nervo axilar causada pela injeção intramuscular no deltóide: relato de caso. Rev Bras Ortop. 2004;39(10):125-32.
27. Rangel SM, Cassiani SHDB. Administração de medicamentos injetáveis por via intramuscular: conhecimento dos ocupacionais de farmácias. Rev Esc Enferm USP. 2000;34(2):138-44.
28. Bjanes TK. Lokale bivirkninger ved parenteral administrasjon av legemidler.Tidsskr Nor Legeforen. 2011;131(5):472-4.
29. Bartell JC. Needle temperature effect on pain ratings after injection. Clin J Pain. 2008; 24(3):260-4.
30. Lamblet LCR, Meira ES, Torres S, Ferreira BC, Martucchi SD. Ensaio clínico randomizado para avaliação de dor e hematoma em administração de medicamentos por via subcutânea e intramuscular: há necessidade de troca de agulhas? Rev Latinoam Enferm. 2011;(19)5:1063-71.
31. Rock D.Does drawing up technique influence patient's perception of pain at the injection site? Aust N Z J Ment Health Nurs. 2000;9(3):147-51.
32. Romano CL, Cecca E. A new method to reduce pin-prick pain of intra-muscular and subcutaneous injection. Minerva Anestesiol. 2005;71(10):609-15.

 

Principio de pgina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería