ENTRAR            

 


 

CULTURA DE LOS CUIDADOS ISSN:1138-1728 3904 2017 n49 r49134

 

 
Antropología

 Ir a sumario    Acceso al texto completo

Cultura de los Cuidados
[
Cul Cuid]
2017 sep-dic; XXI(49):
134-146

 Recibido: 07/02/2017
Aceptado: 22/05/2017

Percepção da equipe de enfermagem sobre a abordagem lúdica à criança hospitalizada

Ana Cláudia Seus Falke1, Viviane Marten Milbrath2, Vera Lucia Freitag3
(1) Enfermeira. Pelotas Rio Grande do Sul (brasil). E-mail: anaclaudiafalke@gmail.com. (2) Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta da Universidade Federal de Pelotas (ufpel). Enfermeira. Pelotas Rs (brasil). e-mail: vivianemarten@hotmail.com (3) Doutoranda em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (ufrgs). Mestre em Ciências. Especialista em gestão de Organização Pública em Saúde. Bolsista pela Coordenação e Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (capes). enfermeira.

Cómo citar este documento:
Falke, Ana Cláudia Seus;Milbrath, Viviane Marten; Freitag, Vera Lucia. Percepção da equipe de enfermagem sobre a abordagem lúdica à criança hospitalizada. Cultura de los Cuidados. 2017 sep-dic, XXI(49). En: <http://www.index-f.com/cultura/49/49134.php> Consultado el

Resumo

Objetivo: conhecer a percepção da equipe de enfermagem sobre a abordagem lúdica à criança hospitalizada. metodologia: estudo qualitativo exploratório- descritivo, realizado na pediatria de um Hospital Escola do sul do Rio Grande do sul, com oito profissionais da equipe de enfermagem. para a coleta de dados, utilizou-se a entrevista semi-estruturada. As informações foram interpretadas por meio da análise temática de Minayo. resultados: observou-se que a equipe de enfermagem não possui o preparo técnico- -científico para utilizar a abordagem lúdica na prestação de assistência de enfermagem, visto que além de alguns desconhecerem o conceito e as técnicas aplicadas à ludoterapia, esse tema teve escasso ou nenhuma abordagem na formação acadêmica ou profissional dos entrevistados. conclusão: faz-se necessário que tal modalidade seja inserida nos cursos de graduação e ainda que a instituições promovam o cuidado lúdico para que os profissionais possam utilizar deste instrumento do cuidado, melhorando assim a assistência prestada à criança hospitalizada.
Palavras chave: Criança hospitalizada/ Abordagem lúdica/ Profissionais de Enfermagem/ Cuidado.
 

Resumen
Percepción del equipo de enfermería sobre el enfoque lúdico al niño hospitalizado

Objetivo: Conocer la percepción del equipo de enfermería sobre el enfoque lúdico para los niños hospitalizados. metodología: estudio cualitativo exploratorio- descriptivo en pediatría en un hospital en el sur de Rio Grande do Sul. Escuela con ocho profesionales del equipo de enfermería. Para recopilar los datos, se utilizó la entrevista semiestructurada. la información fue interpretada a través de análisis temático de Minayo. resultados: Se observó que el personal de enfermería no tiene la preparación técnica y científica para utilizar un enfoque lúdico en la prestación de cuidados de enfermería, así como algunos ignorantes del concepto y las técnicas aplicadas a la terapia de juego, este problema ha tenido poca o ninguna enfoque en la formación académica o profesional de los encuestados. conclusión: es necesario que esta matéria se integre en los cursos de grado y que las instituciones promuevan el cuidado lúdico que los profesionales pueden como uma herramienta más del cuidado, con objeto de optimizar la atención a los niños hospitalizados.
Palabras clave: Niño hospitalizado/ Enfoque lúdico/ Profesionales de enfermeira/ Cuidado.
 

Abstract
Nursing staff perception of nursing on approach to child hospitalized ludica

Objective: To know the perception of the nursing team about the playful approach to hospitalized children. methodology: exploratory-descriptive qualitative study in Pediatrics in a hospital in southern Rio Grande do Sul School with eight nursing team professionals. To collect data, we used the semi-structured interview. The information was interpreted through thematic analysis of Minayo. results: it was observed that the nursing staff does not have the technical and scientific preparation to use a playful approach in providing nursing care, as well as some ignorant of the concept and the techniques applied to the play therapy, this issue has had little or no approach in academic or vocational training of respondents. conclusion: it is necessary that this mode is entered in undergraduate courses and that the institutions promote playful care that professionals can use this instrument care, thereby improving the care provided to hospitalized children.
Key-words: Child Hospitalized/ Playful approach/ Nursing professionals/ Care.
 

Referências

- Acioli, S., Kebian, L. V. A., Faria, M. G. D. A., Ferracicioli, p., & Correa, V. D. A. F. (2014). Práticas de cuidado: o papel do enfermeiro na atenção básica. Rev. enferm Uerj, 22(5), 637-42.
- Almeida, F. A., & Sabatés, A. L. (2008). Enfermagem pediátrica: a criança, o adolescente e sua família no hospital. 1º ed. Barueri, Sp.
- Biscarde, D. G. D. S., Pereira-santos, M., & Silva, L. B. (2014). Formação em saúde, extensão universitária e Sistema único de Saúde (sus): conexões necessárias entre conhecimento e intervenção centradas na realidade e repercussões no processo formativo. Interface-comunicação, saúde, Educação, 18(48), 177-186.
- Brito, T. R. P. D., Resck, Z. M. R., Moreira, D. D. S., & marques, S. M. (2009). As práticas lúdicas no cotidiano do cuidar em enfermagem pediátrica. Rev Enferm Anna nery, 13(4), 802-8.
- Castro, D. P., Andrade, C. U. B., Luiz, E., Mendes, M., barbosa, D., & Santos, L. H. G. (2010). Brincar como instrumento terapêutico. Pediatria (são Paulo), 32(4), 246-54.
- Côa, T. F., & Pettengill, M. A. M. (2011). A experiência de vulnerabilidade da família da criança hospitalizada em unidade de Cuidados Intensivos Pediátricos. Revista da escola de Enfermagem da Usp, 45(4), 825-832.
- Cruz, D. S. M., Rocha, S. M. L., & Marques, D. K. A. (2013). O lúdico na hospitalização: percepção de mães de crianças hospitalizadas quanto ao projeto de extensão anjos da Enfermagem. Rev. Ciênc. Saúde Nova Esperança, 2(11), 131-42.
- He, H. G., Zhu, L., Li, H. C. W., Wang, W., Vehviläinen- julkunen, K., & Chan, S. W. C. (2014). A randomized controlled trial of the effectiveness of a therapeutic play intervention on outcomes of children undergoing inpatient elective surgery: study protocol. Journal of advanced nursing, 70(2), 431-442.
- Falbo, B. C. P., Andrade, R. D., Furtado, M. C. D. C., & mello, D. F. D. (2012). Estímulo ao desenvolvimento infantil: produção do conhecimento em enfermagem. Revista brasileira de Enfermagem, 65(1), 148-154.
- Frota, M. A., Gurgel, A. A., Pinheiro, M. C. D., Martins, m. C., & Tavares, T. A. N. R. (2007). O lúdico como instrumento facilitador na humanização do cuidado de crianças hospitalizadas. Cogitare enferm, 12(1), 69-75.
- Jansen, M. F., Santos, R. M., & Favero, L. (2010). Benefícios da utilização do brinquedo durante o cuidado de enfermagem prestado à criança hospitalizada. Revista gaúcha de Enfermagem, 31(2), 247.
- Leite, T. M. C., & Shimo, A. K. K. (2008). Uso do brinquedo no hospital: o que os enfermeiros brasileiros estão estudando. Rev Esc Enferm Usp, 42(2), 389-95.
- Lemos, L. M. D., Pereira, W. J., Andrade, J. S., & Andrade, a. D. S. A. (2010). Let us care with plays?. Revista brasileira de enfermagem, 63(6), 950-955.
- Maia, E. B. S., Ribeiro, C. A., Borba, R. I. H. (2008). Brinquedo terapêutico: benefícios vivenciados por enfermeiras na prática assistencial à criança e família. Revista gaúcha de Enfermagem, 29(1), 39.
- Lima, K. Y. N., & Santos, V. E. P. (2015). O lúdico como estratégia no cuidado à criança com câncer. Revista Gaúcha de Enfermagem, 36(2), 76-81.
- Magnabosco, G., Tonelli, A. L. N. F., & Souza, S. N. D. h. (2008). Abordagens no cuidado de enfermagem à criança hospitalizada submetida a procedimentos: uma revisão de literatura. Cogitare enferm, 13(1), 103-108.
- Minayo, M. C. (2012). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12ª. ed. - 1ª reimpressão, São paulo: Hucitec, p. 407.
- Maia, E. B. S., Ribeiro, C. A., & Borba, R. I. H. (2008). brinquedo terapêutico: benefícios vivenciados por enfermeiras na prática assistencial à criança e família. Revista gaúcha de Enfermagem, 29(1), 39.
- Mohan, S., Nayak, R., Thomas, R. J., & Ravindran, V. (2015). The Effect of Entonox, Play Therapy and a Combination on Pain Relief in Children: A Randomized controlled Trial. Pain Management Nursing, 16(6), 938- 943.
- Nunes, C. J. R. R., Rabelo, H. D., Falcão, D. P., & Picanço, m. R. A. (2013). A importância da brinquedoteca hospitalar e da Terapia Ocupacional sob a óptica da equipe de enfermagem de um hospital público do Distrito Federal/ the importance of hospital playroom and Occupational therapy from the perspective of the nursing team of a. Cadernos de Terapia Ocupacional da Ufscar, 21(3).
- Paladino, C. M., Carvalho, R., & Almeida, F. A. (2014). brinquedo terapêutico no preparo para a cirurgia: comportamentos de pré-escolares no período transoperatório. revista da Escola de Enfermagem da Usp, 48(3), 423-429.
- Schneider, C. M., & Medeiros, L. G. (2011). Criança hospitalizada e o impacto emocional gerado nos pais. Unoesc ciênc Acet, 2(2), 140-54.
- Souza, L. P. S., Silva, C. C. D., Brito, J. C. A. D., Santos, A. p. D. O., Fonseca, A. D. G., Lopes, J. R., & Souza, A. A. M. d. (2012). O Brinquedo Terapêutico e o lúdico na visão da equipe de enfermagem. J Health Sci Inst, 30(4), 354-8.
- Sikilero, R., Morselli, R. & Duarte G. (1997). Recreação uma proposta terapêutica. In: Ceccim, R. B. Carvalho P. r. Organizadores. Criança hospitalizada atenção integral como escuta à vida. Porto Alegre: Editora da Universidade federal do Rio Grande do Sul; p.59-65.
- Almeida, D. V. (2012). Alteridade: ponto de partida da humanização dos cuidados em saúde? Revista Baiana de enfermagem, 26(1).

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-Tesis
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería