ENTRAR            

 


 

CULTURA DE LOS CUIDADOS ISSN:1138-1728 3904 2017 n48 r48131

 

 
Antropología

 Ir a sumario    Acceso al texto completo

Cultura de los Cuidados
[
Cul Cuid]
2017 may-ago; XXI(48): 131-139

 Recibido: 20/12/2016
Aceptado: 10/03/2017

Contribuições do Estágio Supervisionado para a Formação da Identidade Profissional do Enfermeiro

 

Menga Lüdke,1 Érika Bicalho de Almeida,2 André Luís Brugger e Silva3
(1) Doutora, Professora e Orientadora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu da Universidade Católica de Petrópolis UCP-RJ. (2) Doutoranda de Enfermagem da Unirio. Mestre em Educação pela UCP-RJ. Coordenadora da Graduação e Pós-Graduação de Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora-Suprema. (3) Enfermeiro, MBA em Gestão de Saúde, Auditoria e Acreditação Hospitalar pela UFJF

Cómo citar este documento:
Lüdke, Menga; Almeida, Érika Bicalho de; Silva, André Luís Brugger e. Contribuições do Estágio Supervisionado para a Formação da Identidade Profissional do Enfermeiro. Cultura de los Cuidados. 2017 may-ago, XXI(48). En: <http://www.index-f.com/cultura/48/48131.php> Consultado el

Resumo

Estudo qualitativo, descritivo e exploratório. Foram entrevistados onze estagiários de enfermagem do oitavo e nono períodos e dez preceptores de estágio de duas instituições de ensino superior, utilizando como cenário da pesquisa seus respectivos hospitais de ensino. As entrevistas foram consolidadas à luz da análise dos seus conteúdos. Descreve e analisa as contribuições do Estágio Supervisionado para a formação da identidade profissional do enfermeiro. Por que somos e como nos constituímos enfermeiros foram questões que emergiram ao longo da pesquisa direcionando- -nos ao estudo do processo de construção da identidade pelo estagiário de enfermagem. As associações entre o ser enfermeiro idealizadas e a realidade vivida no ambiente de trabalho apontam e ajudam a compreender a construção da identidade do profissional. Na enfermagem a identidade profissional se forma dentro de um ambiente de trabalho coletivo, de relações com parceiros (equipe interdisciplinar, paciente e família) inseridas em situações de trabalho, marcadas por uma divisão hierárquica do trabalho e de percursos de vida, marcados por imprevistos, continuidades e rupturas, êxitos e fracassos. Defronte ao estagiário, o enfermeiro preceptor abre as cortinas do saber e da profissão, mostrando-lhe o cotidiano do ser enfermeiro. Este espaço de trabalho ajuda os estagiários na definição de si mesmo, como pessoa e como profissional, contribuindo para a construção da identidade profissional.
Palavras chave: Enfermagem/ Estágio supervisionado/ Identidade Profissional.
 

Resumen
Contribuciones de la Etapa Supervisada para la Formación de la Identidad Profesional de las enfermeras

Objetivo: Describir y analizar las contribuciones de la Práctica Profesional Supervisada para la formación de la identidad profesional del enfermero. Metodología: se trata de un estudio de investigación cualitativa, descriptiva y exploratoria. Se ha entrevistado a once practicantes de enfermería del octavo y noveno semestres y diez instructores de práctica profesional de dos instituciones de la enseñanza superior, utilizando como escenario de la investigación sus respectivos hospitales universitarios. Las entrevistas fueron tratadas a la luz del análisis de sus contenidos. Resultados: El ¿por qué somos? y ¿cómo nos hicimos enfermeros?, fueron cuestiones que emergieron a lo largo de la investigación haciendo que volviéramos nuestra mirada hacia el proceso de construcción de la identidad por el practicante de enfermería. Las relaciones entre el ser enfermero, lo que generalmente es idealizado, y la realidad vivida en el ambiente de trabajo apuntan y ayudan a comprender la construcción de la identidad del profesional. Conclusiones: En la enfermería la identidad profesional se construye dentro de un ambiente de trabajo colectivo, de relaciones entre compañeros (equipo interdisciplinario, paciente y familia) insertadas en situaciones de trabajo, señalados por contratiempos, continuidades y rupturas, éxitos y fracasos. Frente al practicante, el instructor abre las puertas del saber mostrándole el cotidiano del ser enfermero. Este espacio de trabajo ayuda a los practicantes en la definición de uno mismo, como persona y como profesional, contribuyendo, por lo tanto, para la construcción de la identidad profesional.
Palabras clave: Enfermería/ Práctica profesional supervisada/ Identidad profesional.
 

Abstract
Contributions of Supervised Stage to Development Identity of Training Professional Nurses

Objetives: To describe and analyze the contributions of Supervised Training for the training of professional nursing identity. Methodology: Qualitative, descriptive study.Were interviewed eleven nursing trainees from the eighth and ninth periods and ten stage tutors of two institutions of higher education, using as research scenario their respective teaching hospitals. Interviews were consolidated in the light of the analysis of its contents. Results: Why we are and how we are constituted nurses were issues that emerged during the research directing us to study the process of identity construction by nursing intern. Associations between being an idealized nurse and the reality experienced in the workplace point and help to understand the construction of the identity of the professional. Coclusions: In nursing professional identity is formed within a collective work environment, relationships with partners (interdisciplinary team, patient and family) inserted in work situations, marked by a hierarchical division of labor and life paths, marked by unforeseen, continuities and ruptures, successes and failures. In front of the trainee, the preceptor nurse opens the curtains of knowledge and profession, showing the daily life of nurses. This workspace helps the trainees to define yourself as a person and as a professional, contributing to the construction of professional identity.
Key-words: Nursing/ Supervised Internship/ Professional Identity.
 

Referencias

- Borges, M. S., Silva, H. C. P. (2010). Cuidar ou tratar? Busca do campo de competência e identidade profissional da enfermagem. Rev. Bras. Enfermagem, 63(5), 823-829 .
- Brasil, Conselho Nacional de Educação.(2001). Câmara de Educação Superior. (Resolução CNE/CES 3/2001). Brasília: Diário Oficial da União
- Carvalho, V. (2013). Sobre a identidade profissional na Enfermagem: reconsiderações pontuais em visão filosófica. Rev. Bras. Enfermagem., 66, 24-32.
- Costa, L.M.C. (2014). Contribuição do Projeto HOPE para a configuração da identidade profissional das primeiras enfermeiras alagoanas, 1973 a 1977. Rev. Bras. Enfermagem.,67(4), 535-542
- Dubar, C. (1997) A socialização: construção das identidades sociais e profissionais. Porto: Porto Editoras.
- Dubar, C. (2012). A construção de si pela atividade de trabalho: a socialização profissional. Caderno de Pesquisa.,42(146), 351-367.
- Gimeno Sacristán, J.(1995). La pedagogia por objetivos: obsesión por la eficiência. Madrid: Morata.
- Gonzalez, M. A., Castello Badia, M., & Font, C. M. (2014) The identity of the nursing academic: between education and research. Texto Contexto - Enfermagem., 23(2),241-249.
- Ito, E. E. (2005). O Estágio Curricular segundo a percepção dos enfermeiros assistenciais de um hospital de ensino. Dissertação de Mestrado. Escola de Enfermagem. São Paulo: Universidade de São Paulo.
- Lima, M. M.,Reibnitz, K. S., Prado, M. L, & Kloh, D. (2013). Comprehensiveness as a pedagogical principle in nursing education. Texto Contexto Enfermagem., 22 (1),106-113.
- Marran, A. L., Lima, P. G., & Bagnato, M. H. S.(2015). As políticas educacionais e o estágio curricular supervisionado no curso de graduação em enfermagem. Trab. Educ. Saúde.,13(1), 89-108.
- Medeiros, L. C., & Germano, R. M. (2007). Estágio curricular supervisionado na Graduação em Enfermagem: revisando a história. Rev. Bras. Enfermagem.,60(6),706-710.
- Meyer, D. E., & Kruse, M. H. L.(2003). Acerca de diretrizes curriculares e projetos pedagógicos: um início de reflexão. Rev. Bras. Enfermagem.,56(4),335-339.
- Netto, L.F.S.A., & Ramos, F.R.S. (2004). Considerações sobre o processo de construção da identidade do enfermeiro no cotidiano de trabalho. Rev. Latino-Am. Enfermagem.,12 (1), 45-56.
- Perbone, J.G., & Carvalho, E.C. (2011). Sentimentos do estudante de enfermagem em seu primeiro contato com pacientes. Rev. Bras. Enfermagem., 64(2), 343-7.
- Pimenta, S. G.(1997). A didática como mediação na construção da identidade do professor: uma experiência de ensino e pesquisa. Papirus, 2, 37-70.
- Silva, R. M., Silva, I. C. M., & Ravalia, R. A. (2009). Ensino de Enfermagem: Reflexões Sobre o Estágio Curricular Supervisionado. Revista Práxis, 1(1), 33-39.
- Simões, J., F., Alarcão, I., & Costa, N.(2008) Supervisão em ensino clínico de enfermagem: a perspectiva dos enfermeiros cooperantes. Revista Referência., II(6),126-131 .
- Wachs, M. C. (2004) Aportes para uma hermenêutica da identidade e da práxis docente. Tese de Doutorado, São Leopoldo: Escola Superior de Teologia.

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería